sábado, 27 de dezembro de 2014

P51 - Notícia do falecimento do nosso camarada Gardete Correia (1948-2014), o Furriel Correia do 3.º Pelotão da CART 2732

Em contacto telefónico de há momentos, o camarada Reis Pedro deu-me a triste notícia do falecimento, no passado dia 6 de Novembro, do Furriel Gardete Correia do 3.º Pelotão, que era comandado pelo Alferes Bento. Como se devem lembrar, faziam ainda parte deste Pelotão o Furriel Nunes e eu próprio.

À família enlutada endereçamos os nossos mais sentidos pêsames.

Em preito de homenagem publicam-se algumas fotos que lembram o nosso malogrado camarada Correia

Funchal - Madeira - 1970 - Na Fortificação do Palheiro Ferreira - Cabos Milicianos Nunes, Correia e Vinhal

Funchal - Madeira - GAG-2 - 07ABR70 - Junto Memorial, entretanto derrubado, que perpetuava as Unidades ali Mobilizadas para o Ultramar: Cabos Milicianos Nunes, Vinhal e Correia

Guiné - Mansabá - 02JUL70 - Junto a um obus: Fur Mil TRMS Lorenço, Fur Mil At Correia, Fur Mil Enf.º Marques e Fur Mil At Vinhal

Guiné - Mansabá - 13ABR71 - Dia de paródia. Em cima: Furs Mils Nunes e Correia; em baixo: Fur Mil Vinhal e Alf Mil Bento, todos do 3.º Pelotão/CART 2732

Guiné - Mansabá - Furs Mils Vinhal, Costa, Correia e Fonseca

Guiné - Mansabá - Uma equipa de futebol da CART 2732 - 3.º de pé, a partir da esquerda o ex-Fur Mil Correia

Arruda dos Vinhos, casa do nosso camarada e amigo Reis Pedro - 18JAN2009 - Gardete Correia (de frente) em conversa com o Dias (de costas), ex-Fur Mil Mec da CART 2732

Arruda dos Vinhos - 18JAN2009 - O nosso camarada Gardete Correia (à esquerda com camisola clara) em amena conversa com camaradas que seguramente não via há muito anos.

Arruda dos Vinhos - 19JAN2009 - I Convívio da CART 2732 organizado no Continente - Foto de Família. 
Gardete Correia, na fila da frente, entre o ex-1.º Cabo Ap. Metralhadora Inácio Silva e o ex-Fur Mil Fonseca
____________

Carlos Vinhal
____________

1 comentário:

  1. Só agora li a notícia da morte do furriel Correia. Um camarada que retemos na memória pela postura humanista, educação e relacionamento que tinha para como todos, independentemente das graduações. É um "adeus" que nos faz recordar a pessoa que conhecemos durante cerca de dois anos, em Mansabá. O mesmo sentimos aquando do falecimento do Aires. Depois da Guiné nunca mais soube do Correia, nem do Nunes, nem do Fonseca, nem se outros. O tempo passa e os anos vão acumulando velhice. A família militar, constituída abruptamente para a guerra, forma-se e desfaz-se como se fosse um qualquer circo de fantoches. Como em tudo na vida, há factos e pessoas que recordamos para sempre como há quem preferimos esquecer, por vários motivos. O Correia, tal como o Aires, deixaram-nos saudades. Que Deus os tenha junto de si. João Gouveia

    ResponderEliminar