quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

P28 - Venham todos venham cá ver / o quanto custa viver / nesta terra que é Mansabá


Em comentário feito no Poste 7767 publicado no Blogue Luís Graça e Camaradas da Guiné, o nosso camarada Rogério Cardoso (ex-Fur Mil da CART 643/BCAÇ 645 que esteve em Bissorã nos anos de 1964/66), revelou a letra de uma canção dedicada às condições então vividas em Mansabá.

Caro amigo Ernesto
[...]
A respeito de Mansabá, um camarada nosso adaptou um poema à musica LA MAMMA, cantada na altura por Charles Aznavour. A sede do Batalhão estava em Mansoa e quando porventura por lá "poisava", a malta era sempre tramada.

Um abraço
Rogério Cardoso
CART 643 - "Aguias Negras"



Venham todos venham cá ver
o quanto custa aqui viver
nesta terra que é Mansabá


Uma vida de comoções
constantemente em operações
sem termos acomodações
como te adoro! Oh Mansabá

Sós na caserna sem ninguém
com um cinema de ano a ano
cheios de saudade de alguém
Oh Mansabá da minha alma

Quando queremos o correio
nunca aparece um avião
mas surgem logo três ou quatro
para fazer uma operação

E quando alguém para descansar
vai a Mansoa, só por isso
dizem-lhe logo ao chegar
que amanhã entras de serviço

Oh! Mansabá e Bissorã
o teu descanso não tem igual
faz reviver os corações
e para preocupações,
preferimos as operações
mas jamais, jamais, jamais
sede de batalhões!!!!
__________

Vd. também o Poste Guiné 63/74 - P7785: Cancioneiro de Mansabá (1): Vamos todos cá ver / O quanto custa aqui viver / Nesta terra que é Mansabá... (Rogério Cardoso) publicado no Blogue Luís Graça

1 comentário:

  1. Olá, parabéns pelo seu blog, ele está muito bacana! A memória de um povo é a medida de sua grandeza!

    ResponderEliminar